5 erros nas mídias sociais em times de esports iniciantes

Já escrevi outro artigo falando sobre organizações iniciantes e como elas podem inicialmente trabalhar suas mídias sem necessidade de um profissional.

Então você pode dar uma passadinha lá depois que ler aqui alguns erros comuns.


Criando a equipe de marketing

Muitas organizações iniciantes têm a mania de querer criar uma enorme equipe de administração e marketing formada por adolescentes (ainda por cima sem remuneração).

Eles “Contratam” designers e gerentes de mídias sociais, enchem um chat do Facebook de gente para performar a empresa e iniciam suas operações.

Ok! Isso não parece errado já que você está investindo em imagem, não é?

Errado! Essa é a resposta da falência antes mesmo do início.

Existe uma série de erros na comunicação de times de esports causados pela falta de experiência da equipe. E o pior: às vezes a organização nem tem line ups.

Vamos ver alguns:

Donos de organização…

Começo dos problemas

Isso é muito dinheiro, cara!

Não precisa ter um cara cuidando das redes sociais e um cara cabeça de todo o processo já que eles ainda nem têm sobre o que falar.

É preciso ter um conteúdo para publicar antes de sair contratando gente por aí a fora.

Lanchonetes vendem comida, esse é o produto dela. No eSport isso não iria mudar: O produto são suas line ups.

Então de que adianta tu contratar essa galera toda sendo que estão afundados em um campeonato amador.

Não há fotos dos jogadores, tampouco ações publicáveis por parte deles e pior ainda que é não ter público interessado nisso?

Não dá! Não existe possibilidade alguma de gerar conteúdo sobre isso!

Quando você está correndo atrás de criar conteúdo é porque procura agregar valor a algo, mas pensa comigo rapidinho:

Todo número multiplicado por zero é zero!

Não dá pra multiplicar valor em um time que simplesmente não existe.

Seus jogadores não querem se apresentar na internet, não estão participando de campeonato algum e nem sequer estão em um showmatch.

Qual o motivo de ter uma equipe de marketing inteira se não existe sequer seu principal produto?

Desprenda-se da ideia de que um cara vai chegar lá, fazer 5 mil curtidas e sua organização agora está famosa.


Segue abaixo uma lista do que acontece quando se contrata um social media para gerenciar uma organização que não tem movimentação alguma.

1. Meme não vai atingir o público que você precisa!

Muita gente por aí inventa de publicar vídeos e imagens engraçadinhas para manter o movimento.

Teu público vai crescer da maneira incorreta.

Quem te seguir vai estar interessado em ver memes e vídeos copiados da internet por lá.

O lance do cara é ver meme!

Desiste de empurrar esporte eletrônico na timeline dele, pois ele não vai curtir…

Se o post da sua participação no próximo jogo não tiver likes, a culpa é sua!

Não crie relacionamento com pessoas que não têm interesse algum sobre eSports.

Pense sempre: Será que isso que o que eu publico é interessante para quem curte?

Lembre também“Será que isso vai ser interessante para quem curte esporte eletrônico?”.

Sim! Esse pensamento deveria ser o básico, mas muita gente ignora.

Muito social media por aí faz um trabalho focado em fazer meme e peca nesse detalhe enchendo a página do cliente disso.

Aí quando os resultados não saem, ele diz que a a culpa não é dele por o time ser pequeno.

De fato não é dele, mas também ele deveria ter avisado que não existe o que publicar. Só aceitou por dinheiro e esqueceu do cliente.

2. Não seja um portal de notícias!

Aqui é bem diferente do pessoal do meme, pois eles lembram que o público é eSports, mas esquecem que não é o time deles.

Enchem a página deles falando apenas de outros times maiores e acham que estão acertando em cheio nas pessoas certas.

Você fala do Major da SK ou dos coreanos da Red Canids e fica insistindo nesse tipo de conteúdo que vai te distanciar de quem curte o teu time.

Afinal, tuas redes sociais literalmente se tornaram um canal sobre jogos.

Novamente quando você publica que teu time vai jogar alguma partida, ninguém vai nem saber quem é e ignorar.

Isso vai acontecer pelo simples motivo da audiência estar acostumada a ver os grandes nomes, ler a notícia e continuar passando a timeline.

Ou seja, tuas publicações estão juntando torcida de outros times ali e não a sua.

3. Publicar toda hora que a stream está online.

Eu sei que você chamou vários streamers para trazer uma certa fama para tua organização, mas relaxa que tá tudo bem. Cê tá mais que certo fazendo isso!

Não é nada errado publicar uma transmissão.

Dose a quantidade de posts sobre streams para não pegar mal, deve-se evitar ser aquela organização que todo dia posta “TAMO AO VIVO! link nas descrição!”.

Esse erro é mais um alerta para não ter queda de alcance.

Levar alguém para um ambiente externo de qualquer mídia social é quase considerado que fazer uma venda.

O algoritmo do Facebook prefere que você crie relacionamentos do que leve pessoas para fora da plataforma, então evite.

Só um alerta, segue a lista!

4 Hype desnecessário

“Vamos voltar com tudo!”
“01/02”
“novidades em breve!”

Todo mundo já fez isso, inclusive eu ainda faço às vezes.

É bem comum ler esse tipo de coisa nas redes sociais dos times amadores querendo animar a torcida sobre novidades.

O problema é quando essa surpresa nunca chega e temos certeza que nunca chegará.

Normal se animar querendo contar algo que te anima e a maior pergunta que eu te faço é:

Será que realmente vale a pena contar que precisa guardar um segredo para uma torcida que ainda é pequena?

Eles podem ver agora, só que é incerto se eles verão depois já que geralmente o alcance costuma ser baixo.

No cenário amador tudo pode acontecer: o novo jogador pode desistir, o campeonato cancelado ou nem sequer ser algo relevante.

Não vale a pena gerar hype.

Você nem sempre vai suprir essa esperança que causou.

Não precisa fazer uma surpresa do nada, apenas não fique forçando todo dia que vai acontecer algo em breve.

Ou se tornará uma versão de um grupo de facebook aí gaming.

Parece ouro, mas é só um ursinho de pelúcia

5. Comprar curtidas

É! Eu sei!

Ainda existem pessoas que compram curtidas achando que existem resultados e isso não faz sentido algum!

Você compra suas 50, 100 mil curtidas achando que agora tua página vai estourar e teu patrocinador agora vai morrer de amores por você, mas não!

Lembre-se que toda empresa que oferece patrocínios tem profissionais de marketing analisando suas métricas antes de entrar em contato.

Vai jogar dinheiro que poderia ser revertido para uma boa equipe em curtidas e não vai ter retorno algum.

O público que você comprar não vai ser compatível com o que você publica, nem mesmo se você comprar a página de outra equipe.

Afinal eles torcem para aquela equipe que você comprou e não a sua!

Isso pode gerar até uma crise por parte dessa galera nova que chegar na sua página se não rolar uma identificação.

Acho que já tá meio claro o motivo de não comprar curtidas.


O que eu faço então?

Beleza, Pablo. Tu jogou um monte de defeito aqui das minhas publicações e das minhas despesas. Qual a solução?

Fica quieto. Não publica nada. Shut up! Publique io útil sobre o que a sua audiência se interessa e se conecte ao seu time.

Então agora eu vou soltar a polêmica: NÃO CONTRATE ADOLESCENTES PARA A EQUIPE DE MARKETING E COMUNICAÇÃO.

Fique apenas você e seus jogadores, se necessário.

Minha proposta é você segurar esse dinheiro, contratar um designer quando necessário e você mesmo publicar as novidades.

Invista no cenário

Se a “Lanchonete e Suqueria do Xande” (sim, esse era o nome do time que chegou a um mundial de esports) chegou ao mundial de Rainbow Six, sem ao menos ser uma organização, imagine a sua?

Os mesmos reais que você investia para uma grande equipe de adolescentes podem ser revertidos para contratar treinadores e analistas.

Aos poucos você pode contratar profissionais de marketing para atuar na comunicação da sua organização e impactar mais fãs.

Já vi organizações chegarem longe sem investir um centavo em players, imagine com investimento…

Foco nessa ideia.

Concentre-se mais em crescer dentro do jogo, chegar ao profissional e depois os patrocinadores irão vir conforme sua comunicação melhora.

Basta manter uma regularidade nas publicações para a página não ficar empoeirada e tá tudo bem!


Obrigado por acompanhar o texto.

Fiz pensando em todas as organizações de esporte eletrônico que poderiam estar investindo no cenário. Vocês contratar uma equipe qualificada, claro! Tudo no seu tempo…

Vou atualizar esse blog todo domingo falando um pouco sobre redes sociais e esporte eletrônico já que a gente vê tão pouco conteúdo sobre o assunto.

Até porque é difícil encontrar um tema tão específico, né?

Qualquer dúvida ou comentário, você pode falar comigo em contato@pabloalves.me.

Siga-me no Facebook, Instagram, Linkedin e Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *